Quarta, 29 Outubro 2014 00:00

Sintesam e Reitoria negociam jornada de trabalho de 30 horas

Avalie este item
(0 votos)
Dirigentes do Sintesam em reunião com a reitora da Ufam, Márcia Perales Dirigentes do Sintesam em reunião com a reitora da Ufam, Márcia Perales Foto: Sintesam

O acordo foi selado na reunião entre representantes do Sintesam e os reitores professora Márcia Perales Mendes Silva e Hedinaldo Narciso Lima, na quinta-feira (23), no prédio da Administração Superior.

A solicitação foi encaminhada pela categoria, na forma de abaixo-assinado, reivindicando a imediata instalação de uma mesa paritária de negociação para que seja implantada a jornada de 30 horas de trabalho na Universidade. O abaixo-assinado, contendo 630 assinaturas, foi protocolizado na Reitoria, pela Coordenação Executiva do Sintesam, na manhã do dia 24 de setembro, ocasião em que também foi feita a entrega simbólica do documento diretamente a reitora, professora Márcia Perales Mendes Silva, que recebeu o documento e agendou a reunião para o dia 23 de outubro.

A mesa será composta por dez membros. Sendo quatro representantes da UFAM e quatro do Sindicato, acrescida de dois suplentes. Os nomes dos representantes do Sintesam serão definidos nesta semana e comunicados à Reitoria até quinta-feira (30).

A partir deste primeiro passo, a UFAM vai elaborar um documento para institucionalizar (tornar oficial) a decisão administrativa e, ao mesmo tempo, convocar a primeira reunião da comissão (mesa) para estabelecimento de um cronograma (agenda) de trabalho entre outras providências.

A comissão do Sindicato foi representada pelos coordenadores executivos Carlos Almeida e Ronaldo Vitoriano, que fizeram um agradecimento e a exposição sobre os pontos reivindicados pela entidade. Os coordenadores salientaram o histórico de negociação que sempre foi mantido com a administração da UFAM (ex-reitores) em face de várias questões, ao longo de anos, como o RU (Restaurante Universitário).

A reitora Márcia Perales enfatizou a existência de pontos que demandam definições a médio e longo prazos, mas acenou do modo favorável ao dizer que “não há oposição à ideia. Há pontos convergentes e discordâncias sobre as 30 horas”. Pontos que serão negociados ao longo dos diálogos. Contudo, ressaltou que haverá estudos sobre a viabilidade de cada setor e aspectos legais. A reitora também estabeleceu a continuidade de cumprimento da legislação até que sejam feitas as novas definições pela mesa (comissão).

 

Lido 1193 vezes Última modificação em Quarta, 29 Outubro 2014 18:17

Compartilhe