Buscar
  • Ascom Sintesam

FUTURE-SE: GOVERNO FEDERAL PUBLICA NOVA VERSÃO


Imagem: Reprodução/Internet

Em mais uma tentativa de conseguir aprovação do programa amplamente rejeitado pelas universidades, o Ministério da Educação (MEC) publicou, no último dia 3, nova versão do Future-se. O projeto prevê que as universidades aderentes ao Future-se terão preferência na concessão de bolsas de estudo oferecidas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Essa é a terceira versão do texto a vir a público.

Em reunião realizada em agosto do ano de 2019, o Conselho Universitário (Consuni) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) rejeitou o programa "Future-se".  O Consuni da Ufam publicou uma Moção de Repúdio ao programa e afirmou que "a proposta ataca os fundamentos da universidade pública no que tange à sua autonomia, garantida no artigo 207 da Constituição Federal".

O programa que representa a privatização da educação é fortemente rejeitado pela população brasileira, conforme o levantamento divulgado pelo instituto de pesquisas do Grupo Folha (Datafolha), onde 70% dos entrevistados preferem uma educação pública, gratuita e de qualidade, desde a creche até a universidade, ao invés de privatizá-la. O Future-se foi tema dos protestos da educação que pararam o Brasil em 2019, como o 30 de maio e 14 de junho.

A comunidade acadêmica acredita que o novo texto adota uma postura “impositiva”, pois as universidades que não aderirem o programa perderão os benefícios e a concessão de bolsas da Capes. A diretora do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais da Fundação Getulio Vargas (FGV), Cláudia Costin, alertou sobre o risco de o Future-se desobrigar o poder público de investir nas universidades. “Não existe modelo de universidade pública bancada, exclusivamente, por iniciativa privada”, disse.

O novo texto do Future-se institui, ainda, a figura do "Comitê gestor", responsável por supervisionar o programa. O grupo será composto por representantes das universidades e institutos, do Ministério da Economia, do MEC, e do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).


Fonte: O Globo com edição da ADUA-SSind/Ascom Sintesam

Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Superior do Estado do Amazonas (SINTESAM)

Rua Francisco José Furtado, nº 9, São Francisco

sintesam@gmail.com

Telefone: (92) 3663-1232

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Twitter - Círculo Branco