Buscar
  • Ascom Sintesam

INFORMES FASUBRA: CONFIRA AS ÚLTIMAS DELIBERAÇÕES DA FEDERAÇÃO


O último Informe de Direção (ID), divulgado pela Fasubra nesta segunda (4), destaca o desrespeito do Governo, que tem se negado a abrir negociações com as entidades do Fonasefe.


As entidades que compõem o Fonasefe realizaram ações importantes durante a jornada de lutas de 29 a 31 de março. Foi a resposta ao governo pela falta de diálogo e negociação. A pressão com a vigília permanente em frente ao Ministério da Economia e também com atos no MEC e no Senado em defesa da apuração dos fatos referentes às denúncias veiculadas na imprensa de desvios e gabinete paralelo que gerou a queda do ministro da educação, exigindo a punição de todos os culpados.


Mesmo com toda essa pressão, o governo manteve as portas fechadas e se negou a abrir negociação. Essas ações fizeram com que os secretários do ME recebessem no dia 1º de abril, representantes do Fonasefe. Participaram da reunião pelo governo o secretário José Borges de Carvalho Filho, coordenador-geral de Negociação Sindical no Serviço Público e secretário adjunto de Relações de Trabalho do Ministério da Economia e o secretário que, na oportunidade, reafirmaram a posição de que não há negociação.


A Direção Nacional da Fasubra não tinha, nem alimentou qualquer expectativa de que dessa reunião pudesse significar avanços como, por exemplo, que o governo viesse com uma contra-proposta. O governo Bolsonaro mantém a tática de enrolação e desconsidera a pauta emergencial apresentada pelos servidores públicos federais e busca uma forma de atender apenas setores do serviço público que fazem parte da sua base eleitoral para garantir seus votos.


Após a reunião com o governo, as entidades que compõem o Fonasefe se reuniram no dia 02 de abril e avaliaram a necessidade de intensificar o processo de mobilização para a construção da greve. Porém, a realidade das entidades que compõem o Fórum é de dificuldade para deflagrar uma greve forte que possa ampliar a pressão no governo.


O Fonasefe apontou a necessidade de novo calendário para o mês de abril e fortalecer o apoio aos setores que já acumularam força e deflagraram greve. É fundamental que nesse momento as entidades de base realizem atividades em seus estados e pressionem os parlamentares para que discutam o orçamento no parlamento e garantam verbas para reposição salarial dos servidores.


A DN da Fasubra em conjunto com as demais entidades que compõem o Fonasefe manterá a vigília em Brasília, em frente ao Ministério da Economia. A DN Fasubra entende que o governo não quer negociar e a pressão é fundamental para que se possa abrir de fato uma negociação para o atendimento da reivindicação de recomposição das perdas dos servidores públicos federais.


A orientação da DN Fasubra é que as entidades de base acompanhem a agenda do Fonasefe, realizem atividades com os demais servidores públicos federais e fortaleçam as ações nos estados. A DN Fasubra manterá ações em Brasília para pressionar o ministro na tentativa de abrir negociação com o governo.


A tarefa é manter a nossa disposição de luta e seguir na construção da greve unificada dos SPF, para derrotar o Bolsonaro nas ruas ainda no primeiro semestre e dessa forma garantir nossos direitos e ampliar as nossas conquistas!



(Fonte: ID Fasubra)


Clique aqui para ler o ID na íntegra:

ID 2 DE ABRIL DE 2022
.pdf
Download PDF • 393KB

Confira o Calendário de Lutas aprovado para abril: