Buscar
  • Ascom Sintesam

NOTA DA DIREÇÃO NACIONAL DA FASUBRA SOBRE A GREVE DOS SPFs E NA BASE DA FEDERAÇÃO


A Direção Nacional da FASUBRA, cumprindo deliberação da Plenária Nacional de dezembro de 2021 e reafirmada na Plenária Nacional de março de 2022, que aprovou a construção de greve unificada com os demais setores dos Serviços Públicos Federais (SPF) ou no mínimo da educação superior federal, nesse sentido tem apresentado reiteradamente a que suas entidades se envolvam efetivamente na construção da greve unificada.


Mesmo com a definição das entidades que compõem o FONASEFE apontar por duas vezes a data para a deflagração da greve (08/03 e 23/03), isso não se concretizou em função de entidades apresentaram que não havia mobilização suficiente para a deflagração.


A DN FASUBRA segue na construção da greve unificada dos SPF, conforme deliberado em plenária, propondo calendários de lutas unificados e orientando as entidades de base a participarem de atos, jornadas de lutas, paralisações em conjunto com as demais entidades dos

SPF até que se crie condições para a greve unificada dos SPF.


Orienta, também, continuar a pressão junto aos deputados, senadores e reitores, no sentido de forçar o governo a abrir o diálogo com as entidades representativas.


A DN FASUBRA reconhece que as datas definidas pelas entidades dos SPF e não cumpridas resultou em diversos problemas às entidades da nossa base e em algumas outras que compõem o FONASEFE, fazendo com que parte das delas mantivessem o calendário de deflagração da greve previsto para o dia 23 de março, seja pela pauta local ou pela pauta unificada.


A DN FASUBRA respeita a autonomia das entidades de base e compreende que as greves deflagradas em quatro entidades, cumpre papel importante para responder à pauta local e pressiona o debate geral com as demais entidades que compõem o FONASEFE.


A DN FASUBRA reafirma a deliberação de Plenária Nacional, e continua na busca da unidade necessária entre os outros setores, mesmo os da Educação, tarefa que encontra impasses em função da desmobilização relatada por seus representantes.


ADN FASUBRA não se isenta da responsabilidade de construir a mobilização e se coloca à disposição para a condução das greves, seja de forma presencial ou virtual, sempre que demandada pelas entidades, ao tempo em que já está fazendo gestões junto ao MEC e ANDIFES

para que os movimentos paredistas não sofram punições.




#FORABOLSONAROEMOURAO

RECOMPOSIÇÃO SALARIAL EMERGENCIAL, JÁ!!!!



(Fonte: Fasubra Sindical)